18/08/2007

Eco-escumalha

A civilização tem de aturar a barbárie?

-Não vou defender a cultura do milho transgénico, em boa verdade nem sei muito destas matérias, mas sei o que é propriedade privada e o respeito pelas leis num estado democrático, acontece que uns quantos energúmenos, uns fdp. outra coisa não serão certamente, dum tal gang "verde eufémia", pelo nome dá para perceber a sua inspiração que nao deverá ser verde mas vermelha, resolveram armar-se em autoridade, e destruir propriedade privada, sem que ao que se conste, e apesar da presença da GNR no local, alguém ter sido no mínimo detido para comparecer perante um juiz, gostaria de ouvir o ministro das polícias, sr Rui Pereira sobre este assunto, e saber se está o estado disposto a defender os seus cidadãos, que pagam impostos, dos actos destes ou outros bandalhos, que se arvoram no direito de julgar, condenar e punir por suas próprias mãos. É que se o estado não consegue assegurar esse direito, através das forças policiais, não servem só para passar multas de trânsito sr. ministro, então terão os cidadãos o direito de constituir a sua própria e legítima defesa, não sendo de admirar, que uma destas bestas possa tombar á frente da arma dum agricultor mais exaltado, é que segundo a notícia, estes cães, não saciados, ainda foram manifestar-se, numa atitude que só poderá ser classificada de provocatória para com o estado de direito, ou talvez antes, o estado a que isto chegou, pois mesmo que a GNR não tivesse homens em número suficiente para proceder a detenções e identificações no local, ao escoltar estes bandidos teve certamente tempo para chegarem reforços, se para tal houvesse interesse é claro, isto só é possível porque as autoridades enchem-se de força e prepotência face a um cidadão pacífico apanhado a falar ao telemóvel enquanto conduz, ou em excesso de velocidade, mas depois acobardam-se face a escumalha deste calibre, anti-globalização, e outros vândalos ávidos por destruir. A continuar esta vergonha, não resta a todo o cidadão, senão o direito à legítima defesa, começo a compreender porque nos Estados Unidos, o direito à posse de arma é constitucionalmente consagrado, se as polícias não nos defendem...

2 comentários:

dln disse...

FASCISMO NUNCA MAIS!

Meio século depois Silves assistiu ao regresso do FASCISMO em todo o seu esplendor. Perante a aparente incapacidade das autoridades e as câmaras dos jornalistas previamente avisados (senão como se explica que tenham lá chegado a tempo de filmar) homens e mulheres “meio fardados” e ENCAPUZADOS invadiram propriedade privada, agrediram o proprietário e os seus funcionários e destruíram as suas produções devidamente homologadas pelas normas nacionais e comunitárias. Tudo isto em nome de uma “causa”, defendida por uma minoria – que em último caso traduz-se numa simples questão de liberdade individual. Estes acontecimentos são nada mais que o regresso de práticas fascistas ao nosso Portugalzinho de “brandos costumes”. Quando os fascistas do PNR decidiram afixar aquele cartaz execrável, o assunto foi amplamente discutido e alvo de repreensão por parte da sociedade. Contudo não passaram das palavras, enquanto que esta quadrilha decidiu mesmo passar aos actos… Se ficarem impunes, preparem-se porque o fascismo seja qual for a sua nova “capa” está DE VOLTA, e parece que apesar da violência das suas manifestações não merece tanta condenação como as palavras de meia dúzia de fanáticos que apesar de tudo conseguem ser mais exibicionistas do que capazes de encetar este tipo de violência concertada.

TPestana disse...

De realçar ainda que, nos sites dos partidos, apenas o CDS menciona esta invasão como uma notícia relevante.

O PSD vem omitir de todo a notícia, parece que só está preocupado com o facto do governo ter publicitado a reunião.

No PCP NADA, destroiem uma parte da terra, da terra de quem a trabalha, e os comunistas fazem tábua rasa, realçando temas importantes como o descontentamento dos trabalhadores da TAP.

O BE, escondido na sua vergonha, realça apenas que o Governo deve revogar o DL que regula os transgénicos... Estes não foram os mesmos senhores que ficaram indignados com o facto de Alberto João não aplicar a lei do Aborto na Madeira por omissão? não disseram que era um atentado ao Estado de Direito? Neste caso, não é apenas uma questão de omissão, mas sim de uma acção nitidamente violadora da lei.

Para os BE's a lei só deve ser respeitada quando eles entendem que deve ser... o problema é que "eles" continuam a representar uma pequena percentagem da população portuguesa... enfim, parece que os Bloquistas Trotksistas têm uma noção muito particular de democracia, talvez porque nunca foram, nem nunca serão, verdadeiramente democratas....