28/11/2007

Assim se vê a democracia do PCP

PUBLICO-Deputada Luisa Mesquita, expulsa do PCP

-A práctica não é nova neste partido, há que disciplinar, e manter os membros dentro duma linha estreita, quando se portam mal, são expulsos, sim apenas expulsos, porque em Portugal, felizmente o PCP nada governa, excepção feita a uma ou outra autarquia, tivesse sido outro o desfecho do 25 de Novembro há 32 anos, e talvez isto não fosse assim tão simples. O PCP teima em não aprender com os ventos da História, continuando a levar a cabo purgas internas, desrespeitando até aqueles que o servem, é uma questão de princípio, quando um eleitor vota no PCP, ajudando á eleição dum representante, este partido continua a entender que o mandato lhe pertence, eu prefiro continuar a entender que o mandato nunca deixa de pertencer ao eleitor, e que só a ele deve o eleito prestar contas. Por esta concepção de democracia, sou naturalmente favorável á criação de circulos uninominais, e mandatos autarquicos personalizados no presidente de câmara, evitando que os partidos possam chantagear os seus eleitos, é bom esclarecer que esta concepção não é exclusiva do PCP, outros, de forma mais camuflada a seguem, com declarações de renuncia ao mandato, previamente assinadas. Não vou aqui defender a deputada Luisa Mesquita, nem reconhecer-lhe hoje uma orientação política meritória, quando até ontem discordava quase sempre desta senhora, aliás sou sempre muito céptico em relação a mudanças de campo político, apenas condeno e registo a continuação da ortodoxia comunista, própria dum tempo já passado.

4 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

Tem gente que não evolui, depois bem o PCP dizer que esta em renovação, pois atira-se o pessoal borda-fora e fica-se no mesmo sitio de a 30 anos.

quintarantino disse...

Estão ambos bem metidos...

JOY disse...

A correrem com pessoal da maneira como estão não vai tardar muito e o CDS-PP já tem companhia no táxi.
Com atitudes destas como é possivel apregoar a democracia ?

JOY

NuNo_R disse...

faz-me confusão como pode o PCP com estas atitudes, continuar a achar-se o defensor dos direitos dos cidadãos se nem na sua "casa" sabe "mandar"...


abr...prof...