01/11/2007

Hoje 1 de Novembro, feriado porquê?

-Tendo deixado de practicar a religião católica há já vários anos, as minhas idas a igrejas têm sido motivadas por casamentos, baptizados ou interesse turisitico, o qual ocorre quando visito paragens desconhecidas, em locais onde existam igrejas que possam ser classificadas como monumentos. Tenho assistido pois, um pouco como espectador, aos ataques desferidos á Igreja Católica em Portugal, desde fazer o Cardeal Patriarca regredir uns lugares no protocolo do Estado, a polémicas como mais recentemente o episódio dos capelães entre outros episódios mais ou menos importantes. Tudo com a complacência do governo, com os ataques a partirem dos sectores mais jacobinos da nossa sociedade, patrocionados e executados por jornalistas, que afirmando-se defensores de causas fracturantes, não passam de atiradores furtivos, escolhendo um alvo de forma selectiva, atirando furiosamente sobre o mesmo, berrando que só ali existe o problema, nada têm contra a Igreja Católica, até que, chegado o momento em que o alvo foi abatido, começam a ponderar o próximo, repetindo a estratégia. Esses sectores têm na realidade, um profundo ódio, á instituição Igreja Católica, sabem contudo esperar, a estratégia é o abate selectivo de alvos, porque se enfrentassem a instituição como um todo, o povo Português, muito dele com profundas raízes religiosas, dar-lhes-ia uma resposta á altura, acontece que hoje é um dia feriado religioso, após uma rápida passagem por jornais e blogs, onde se encontram entrincheirados alguns desses atiradores, não vi que algum deles se tivesse manifestado contra o facto da República Portuguesa, laica, assinale este e outros feriados católicos, sem que no calendário luso, que eu saiba, exista algum feriado judeu ou muçulmano. Porque razão aceita o nosso governo, e os jacobinistas permanecem calados, celebrar a Páscoa cristã, e não comemoramos a fuga de Maomé? Comemorar a Páscoa não será uma ofensa aos Judeus? Que dirá o responsável pela comissão de liberdade religiosa, sendo socialista, republicano e laico? Ou cobardemente temem a reação do povo Português, preferindo por isso, continuarem entrincheirados em lugares seguros, a practicar tiro ao alvo? Talvez a azia termine, se em lugar de procurarem brechas como causas, assumirem os seus propósitos com uma honestidade que até agora, os jacobinos não foram capazes de demonstrar.

5 comentários:

quintarantino disse...

Um ponto de vista a considerar.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pois eu não deixo de concordar com este ponto de vista. Vivemos na era das incoerências em que se pretende conciliar o inconciliável de acordo com os nossos interesses. E isso é pouco ético.

NuNo_R disse...

Eu por mim, festejava os feriados todos e de todas as religiões eheh

assim sempre descansava um bocadito ehehe


Mas mais a sério faz todo o sentido o que o meu Amigo afirmou.
Se somos um Estado laico ( é o que dizem...), então porque continua a I.C.A.R. a ter tanto peso e a ser tão preponderante nestas questões das festividades?
Devia ser o contrário ( ser o Estado a "mandar")ou então sendo mais justo que, ou se festejam todos, ( e cada um mediante a sua religião escolheria numa eventual lista religiosa os feriados da sua religião...) ou então acabavam os feriados religiosos...
A coerência assim determina.
Mas coerência é palavra que a maioria dos tugas não conhece.

abr...prof...

JOY disse...

Boas António,
Grande post, totalmente de acordo,Se o Estado é laico porquê só há feriados em datas importântes para os cristãos, e as outras religiões ?
É o velho ditado " Olha para o que digo,não olhes para o que faço."

Um abraço
JOY

Maria Marques disse...

Muito bom post. Não vejo nenhum jacobino revoltado com os feriadozitos que vai gozando à conta da cultura cristã deste país.