08/12/2007

Homofobia e direitos individuais

-Começou num simples anuncio publicitário, qual bola de neve, foi crescendo, neste momento a discussão generalizou-se, estou a falar é claro, sobre homofobia e direitos das minorias, entre as quais, os homossexuais. Começo por fazer a minha declaração de princípios, não sou homofóbico, nem admito que alguém tente sequer colocar-me tal rótulo, tenho conhecido diversos homossexuais, até profissionalmente, não por qualquer razão especial, apenas porque tal aconteceu, e nunca tratei quem quer que fosse como homossexual, mas como qualquer Manuel, José, João ou Maria, ou seja, tratei com pessoas, assuntos que devem ser tratados por pessoas, com alguns terei estabelecido empatia, com outros nem tanto, teria sido igual caso não fossem homossexuais. Um deles, pessoa que tenho em estima e consideração, cheguei a convidá-lo numa festa do meu aniversário, onde compareceu com o companheiro, sem problema algum. Já não tenho paciência alguma para aturar “bichonas”, os exibicionistas das “gay pride”, da mesma forma que não tenho paciência para aturar comportamentos exibicionistas hetero. Quer isto dizer que sou a favor da legalização do casamento homossexual? Não, não quer, sou contra a legalização do casamento homossexual, ainda que reconheça existirem situações de facto, ás quais o estado e a sociedade devem responder. Se aceitamos que duas pessoas do mesmo sexo vivam em união de facto, caso não aceitássemos elas viveriam na mesma, paguem impostos em comum, devem ter direitos pelos impostos que pagam, devem poder assistir-se mutuamente como qualquer casal, seja na doença ou na velhice. Torna-se então necessário encontrar uma resposta a problemas que existem de facto, afectam pessoas, e não encontram resposta na actual lei das uniões de facto. Uma boa solução seria, a meu ver, a formalização jurídica duma união de facto, mas não celebrada em conservatória do registo civil, e sim contratualizada em cartório notarial. Seria uma questão de vontade política tornar este facto possível, e resolver os efectivos problemas dos homossexuais, sem circo nem folclore. Quanto á possibilidade de adopção de crianças, para mim o assunto nem tem discussão, pura e simplesmente sou contra, falarei dele em próxima oportunidade.

3 comentários:

Blondewithaphd disse...

We share the same views: I also don't like show off, I know gay people that are wonderful human beings, but the exhibitionist queer guys are too much for me to handle. I believe society should treat gay and heterosexual people the same way. However, and this is where we hold different views, I don't see why they shouldn't be married (not in a religious way, for there I'm against) and I don't see why they shouldn't adopt.
Really liked the way you treated this subject (even if we have some discrepancies in opinion)! Very good post and one of your best! I look forward for the one about adoption.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
António de Almeida disse...

-A resposta acima foi removida pela parte final do comentário! É aliás a primeira vez que censuro uma resposta. Não tolero insultos, discordâncias são bem vindas, mas sem ofensas, também não a practico!