25/03/2008

Horários comerciais

PUBLICO-PSD propõe que definição dos horários do comércio seja competência municipal


-Luis Filipe Menezes vem propôr a passagem para as autarquias, da responsabilidade de definição dos horários do comércio. Não deixa de ser um pouco estranha tal pretensão, no momento em que vieram notícias a público, de que o executivo se prepara para analisar a situação, pelos vistos, o PSD não quer tomar uma opção política, estendendo a mão ao governo, pois caso este aceite, dum ápice sacode a responsabilidade de tomar uma decisão impossível de agradar a gregos e troianos, e coloca o ónus nos ombros dos autarcas, os quais ficarão entalados entre a espada e a parede. Por um lado, pretendem atrair e manter as superfícies comerciais no seu território, fontes de receitas, pelo que inevitavelmente serão pressionados, por outro não podem desprezar o voto dos comerciantes. Será um caso interessante de analisar, caso a proposta vá por diante, parece-me á primeira vista, que o PS terá mais a ganhar com a mesma, do que propriamente o PSD. Sendo contudo um defensor da liberalização dos horários, a questão a meu ver, não será quem emite o licenseamento, mas a revogação imediata da legislação em vigor, razão porque eu, e outros 250.000 portugueses, assinámos uma petição. O facto positivo da proposta do PSD, seria alguns autarcas optarem pela liberalização, representando um aumento na liberdade de escolha.

6 comentários:

Tiago R. Cardoso disse...

Discordo da abertura sete dias por semana, é realmente uma concorrência desleal.

O pequeno comerciante, que normalmente é só o dono da loja, não pode estar sete dias por semana aberto para poder concorrer com os grandes.

Igualdade é não deixar os tubarões andarem em roda livre e os pequenos se quiserem acompanhar em de espremer-se ainda mais.

António de Almeida disse...

-Tiago, discordo em absoluto, o dono da pequena loja, pode optar por expandir o negócio, e contratar pessoal, assim existam clientes. Depende do ramo, localização, entre muitos outros factores. Não podemos é passar a vida com políticas proteccionistas, a quem não quer investir, desenvolver e modernizar. Este é que é o verdadeiro problema, e o drama de algum comércio tradicional.

Blondewithaphd disse...

Pois eu concordo com a liberalização dos horários do comércio. Pouco me interessa se é o poder local que decide se o governo central. Os interesses do cidadão acima de tudo e não é por abrirem mais umas horas que as grandes superfícies vão arruinar o pequeno comércio. Ademais, o pequeno comércio representa um nicho de especialidade. Nem vejo bem onde está a concorrência!

azurara disse...

A liberalização é, obviamente, a única solução.

SILÊNCIO CULPADO disse...

António Almeida
Não vejo necessidade de abertura das superficies comerciais ao domingo. É que não vejo mesmo. Os hiper estão abertos até às 13H-00M de domingo, os centros comerciais também estão abertos, para quê mais comércio aberto? Para pôr a trabalhar em condições, ainda mais escravas, os trabalhadores do comércio?
Um abraço

Tiago R. Cardoso disse...

Pois é, Antonio tens razão, mas se o pequeno comerciante que tem um loja e contrata mais pessoas para estar mais tempo aberto, é bem pensado.

O problema é saber qual é o cliente que prefere ir ao Domingo à tarde a uma loja dessas, falo uma mercaria, já que falamos de grande Hipermercados, em vez de se enfiar num centro comercial.

Dizer que devemos acabar com o proteccionismo, até concordo, mas para existir igualdade tem de ambos os concorrentes trabalhar com as mesmas armas.

Um abraço.
Tiago