08/03/2008

Política de educação

-Realiza-se hoje uma manifestação de professores em Lisboa, contra a política de educação do governo, em particular contra a ministra Maria de Lurdes Rodrigues. Os sindicatos contestam o modelo de avaliação proposto pelo governo, mas ainda não vi por parte dos sindicatos, ou de qualquer partido da oposição, a apresentação dum modelo alternativo ao proposto pela ministra, o que me leva a concluir, que apesar de todos afirmarem considerarem necessária a existência de avaliação, o ideal seria mesmo continuar tudo como dantes. Também não concordo com o actual modelo de funcionamento escolar, centralizado, preferia uma autonomia das escolas, na contratação pelas mesmas do seu corpo docente, na avaliação face aos resultados obtidos, nomeadamente através de exames nacionais. A escola é paga pelos contribuintes, é suposto que os mesmos obtenham retorno do investimento, não conheço outra forma de medir os resultados, que não em exames nacionais, extraindo daí todas as consequências inerentes, quer á avaliação da própria escola, dos seus responsáveis ou do seu corpo docente. Dos sindicatos nada há a esperar, entrincheirados na defesa dum modelo de escola pública, responsável pelo insucesso á vista de todos das últimas décadas, isto apesar de Portugal ser dos países que mais investe per capita na educação, mas investe mal, obtendo pouca produtividade. Dos partidos da oposição, pelos vistos também não poderemos esperar muito mais, face a tanta contestação vivida neste sector nos últimos tempos, não teriam já tido oportunidade, para apresentar ao país uma proposta alternativa á do governo? Ou será mais fácil cavalgar a demagogia sindical?

3 comentários:

Anónimo disse...

O problema do estado da (Des)Educação do país, não é um problema dos professores e das Escolas, é um problema do Pais! É um problema que não pode e não deve ser resolvido apenas com os professores, é um problema que envolve dezenas de sectores....As escolas não precisam apenas dos Professores, as Escolas precisam de Sociólogos, de Assistentes Socais, de Psicólogos,Terapeutas, da Polícia, dos Alunos, dos Pais, e do Governo!

Andreia

Atreides disse...

Concordo com a Andreia. O mal é do país...

Tiago R. Cardoso disse...

A questão é mesmo investir de forma errada, aqui e ali sem um rumo correcto.
Evidentemente que continuo a achar que destes sindicados partidarizados, pouco existe a tirar, como também acho que de uma oposição a reboque e em zig-zags, também pouco poderemos esperar.