10/06/2007

Governo soma trapalhadas

-Todos nos lembramos do governo chefiado pelo dr. Santana Lopes e suas famosas trapalhadas, em que anunciavam medidas precipitadas, depois já não era bem assim, um ministro dizia algo, a seguir era contrariado, parecia que o país estava sem rumo, esse governo teve o pecado original de não ter ido a votos, afinal os portugueses tinham eleito Durão Barroso, e Santana Lopes não teve direito a estado de graça, nem qualquer oportunidade por parte dos media, à primeira falha, era metralhado por todos lados, quer externa, quer internamente, os anti-corpus eram mais que muitos. Fartos de trapalhadas, os portugueses viram o então presidente da república dissolver a A.R., o que implicou a queda do governo, e deram ao P.S. uma maioria absoluta, ou seja, condições de governabilidade, que nenhum governo desde o último de Cavaco Silva teve. Nos primeiros tempos, o governo prometeu muitas reformas, mexer com interesses instalados, modernizar Portugal, e torná-lo mais eficaz, mais competitivo. Resultados prácticos até agora? uma soma de trapalhadas, um desnorte total por parte de alguns ministros, e um autismo por parte do P.M., que teima em não ouvir todas as críticas, mesmo as construtivas vindas de dentro do seu próprio partido, tão obstinado que está, quando toma uma decisão, está tomada e pronto, nada mais há a discutir, mesmo que seja impracticável, ou até que sendo uma medida positiva careça de algum melhoramento, a postura do governo é sempre, pode-se discutir, mas já sabem que a decisão é esta. Ora a arrogância desta atitude tem conduzido o governo e o país para uma série de trapalhadas, perfeitamente evitáveis, senão vejamos, férias judiciais, foi uma medida populista, pois férias judiciais não é o mesmo que férias dos juízes, resultados? zero! o sistema judicial continua demasiado lento para um país que se quer modernizar. Reformas na saúde? o fecho de unidades de urgência e maternidades, cuja eficácia ainda está por provar, melhoramentos? até agora zero! alterações? taxas mais elevadas, além de pagarmos cada vez mais impostos, pagamos também os serviços do estado cada vez mais caros! Reformas políticas e fiscais? Uma lei feita à medida da Madeira, visando directamente A.J.Jardim, resultado? uma das maiores vitórias eleitorais do PSD Madeira e do seu líder! Ainda por cima e ao que parece, a dita lei é inconstitucional, e o governo vai ter de repôr as verbas que reteve, bem neste caso o resultado não será zero, mas antes -1 para o governo! Lei das autarquias? ainda estamos longe de verificar a sua eficácia, aqui o benefício da dúvida. Depois temos o ministro da economia, que cada vez que fala é mais eficaz a provocar danos no governo que o líder da oposição, para não falar da teimosia OTA, em que o governo quer passar por cima de tudo e todos, atropelar os estudos que apontam noutras direções, com disparates atrás de disparates proferidos pelo ministro engº Mário Lino, que certamente quer beneficiar "da mesma atenção que é dada ao seu colega da economia", pois de cada vez que vão dizer algo, os jornalistas não perdem palavra, já sabem que vão ali ter manchete e assunto para muitas páginas. Educação, cultura, choque tecnológico, eu diria que este governo além de trapalhadas, a única reforma que nos tem dado tem sido é um choque demagógico!

1 comentário:

Biby Cletus disse...

Cool blog, i just randomly surfed in, but it sure was worth my time, will be back

Deep Regards from the other side of the Moon

Biby Cletus