21/10/2007

Declarações de Pinto Monteiro causam mal-estar no M.P.

DN-Magistrados do MP querem demissão de Pinto Monteiro

-Como avancei na opinião que publiquei ontem, estas declarações de Pinto Monteiro são inacreditáveis, sendo ele o actual PGR, não pode fazer publicamente as declarações publicadas pelo semanário SOL, o responsável máximo pela investigação em Portugal dizer que o seu telefone pode estar sob escuta, é o mesmo que afirmar ter dúvidas sobre a lealdade dos seus subordinados, algo que a acontecer resolve-se em casa, nunca enviando recados para a praça pública, como fez Pinto Monteiro. Depois do consulado de má memória, Souto Moura, esperava-se que Pinto Monteiro conseguisse trazer alguma ordem e sossego à procuradoria, o que até tem conseguido, mas estas declarações podem significar o fim da paz podre reinante, restará saber até que ponto não começará Pinto Monteiro a ver a sua acção armadilhada, como forma de lhe retirar credibilidade, quer pessoal, quer ao órgão que dirige. Sabemos como tudo pode correr mal, começam a aparecer uma fugas ao segredo de justiça, informação e contra-informação sobre processoe em curso, e lá se vai todo o capital de confiança. Nestas matérias, destruir é sempre mais fácil que construir.

2 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pinto Monteiro foi realmente infeliz na forma como colocou a questão. Na posição em que está tem que medir melhor o que diz e como diz.
Muitas vezes a mensagem percepcionada pelo receptor afasta-se da intenção do emissor. Porém, uma pessoa naquela posição não pode dar entrevistas de ânimo leve. E então com a comunicação como está a portar-se como autênticos abutres aonde lhes cheira sangue.

maria disse...

o senhor lá sabe porque diz as coisas.
Deixemos de ser ingénuos. e muito menos falsos moralistas, ou neste caso, falsos politiqueiros...