24/02/2008

Olha quem fala

PUBLICO-José Sócrates critica "descrédito" do PSD em contraponto com "rigor" da maioria


-Foto PÚBLICO

-Sobre a credibilidade da errática liderança de Menezes está quase tudo dito, pelo menos até á próxima declaração pública do mesmo, onde certamente surgirá mais uma pérola de originalidade, já que como todos sabemos, da Lapa é cada tiro cada melro. O primeiro ministro José Socrates, apontou ontem precisamente o dedo ao PSD, pelo descrédito de tais ziguezagues, mas é caso para dizer, olha quem fala, alguém que afirmou enquanto lider de oposição, que 7,2% de taxa de desemprego era a marca duma governação falhada, tem agora números a rondar os 8%, alguém que prometeu não subir impostos, chega ao governo e sobe o IVA, alguém que promete criar 150.000 novos empregos, após 3 anos de mandato vê o desemprego aumentar, e recorre a expedientes matemáticos para reclamar a criação de 96.000, alguém que tinha certezas na Ota e mudou a localização do novo aeroporto para Alcochete, que decidiu construir a travessia Chelas-Barreiro, para na semana seguinte mandar o LNEC proceder a estudos, alguém que prometeu referendar um Tratado Europeu durante a campanha eleitoral, e depois refugiou-se na desculpa que não era a Constituição, pois afinal só tinha cerca de 95% do documento original. Nem vou falar da credibilidade do curso superior, ou dos projectos da Guarda, questões da caracter mais pessoal, mas em matéria política, Socrates o presente, poderia citar o antigo, e dizer "só sei que nada sei", porque as suas certezas são muito pouco fiáveis.

3 comentários:

joshua disse...

Decididamente, a credibilidade nunca quis nada com Sócrates: esta Virgem Pudica e Ofendida é não mais que Velha Putefia e do Piorio, e nomeadamente!

Fala ele como se engolíssemos a patranha. É o tal discurso de Teleponto para Sentados, como se anda por aí a sentenciar, e bem.

PALAVROSSAVRVS REX

bluegift disse...

8% é a média europeia. Bruxelas que é uma das regiões mais ricas da Europa tem cerca de 17% de desempregados! Há uma região na Valónia (estamos a falar do 12° país mais rico do mundo) que atingiu os 25% de desemprego: Charleroi. Não sei António, claro que a taxa deve baixar e o ideal é 0%, mas não estaremos a pedir demasiado para as nossas possibilidades?

Samuel de Paiva Pires disse...

Esta gente esquece-se que tem telhados de vidro! Pena é que o povo português não se apercebe, ou não se quer aperceber. Também não tem grande alternativa, mesmo que o perceba.

Abraço
SPP