21/02/2008

Triste PSD

Portugal Diário - PSD quer duas alterações à lei autárquica


-O PSD é neste momento um partido sem rumo, completamente á deriva, arriscando-se a entrar no anedotário nacional. Esta semana veio Luis Filipe Menezes garantir não encerrar qualquer serviço público durante uma legislatura, poucos meses depois de ter afirmado, que uma vez eleito desmantelaria o estado em apenas 6 meses. Seguiu-se a ruptura do pacto da Justiça, não que eu seja especialmente adepto de pactos de regime, mas os compromissos são para honrar, não podemos estar a acusar o engº Socrates de faltar á palavra na questão do Tratado Europeu, e depois denunciar o pacto de Justiça, sem uma explicação convincente aos portugueses. Agora quer o PSD introduzir alterações na lei eleitoral autarquica, que ele próprio negociou, nem sequer podem invocar a herança de Marques Mendes, e aprovou na generalidade no parlamento. Não estou aqui a tecer considerações sobre a lei, estou mesmo a afirmar que quem necessita alterar comportamento e mudar de vida rapidamente, é mesmo o PSD, que a continuar ao sabor do vento, corre o risco de perder muita da sua base eleitoral. Pessoalmente nunca votaria num partido que apresenta ideias novas e contraditórias semanalmente, sem orientação, sem estratégia. O PSD de hoje não oferece confiança a quem quer que seja, excepção feita aos humoristas, que poderão confiar ter matéria de sobra para se inspirarem enquanto durar a actual liderança do partido.

3 comentários:

Tiago R. Cardoso disse...

Está cada vez mais difícil ver-se uma alternativa ao PS, por este caminho o PM nem precisa de muito esforço para ganhar outra vez.

joshua disse...

Tenho de dar o braço a torcer: nunca vi tanta inconsistência.

Nunca pensei que liderar o PSD se revelasse tão labiríntico e comprometedor.

O grande problema é que não há grande margem de demarcação das presentes políticas. Só um estilo convincente e credível, porque só credível não chega nem chega só convincente, ajudaria ao processo de afirmação.

Lamento, mas a deriva é notória. E há toda uma tragédia de desaparecimento nesse querer existir avulso.

PALAVROSSAVRVS REX

SILÊNCIO CULPADO disse...

António Almeida

Há alternativa ao PS mas não será o PSD tal como está.

Um abraço