17/02/2008

A verdade como o azeite

PUBLICO-Casino de Lisboa: Telmo Correia nega ter favorecido a Estoril-Sol

-Não sei se o ex-ministro Telmo Correia terá ou não beneficiado a Estoril-Sol, para já o próprio desmente, espero que a verdade seja apurada, para que não restem dúvidas sobre a honorabilidade de pessoas. O que já existem certezas é que o ex-ministro não assinou os célebres 300 despachos numa noite, nem tão pouco durante o tempo em que foi titular do cargo. A quem terão servido então estas calúnias? Sinceramente não sei, mas não posso deixar de registar que as mesmas vieram a público imediatamente a seguir á questão das assinaturas de José Socrates nos mamarrachos da Guarda, dos quais segundo o próprio terá sido o autor, sem que os proprietários se recordem de algum dia o terem contratado. Em qualquer país democrático estas questões devem ser investigadas, espero que os jornalistas, pelos vistos os únicos profissionais deste país a conseguirem levar uma investigação a termo, nos esclareçam, já que de outro modo, inquéritos parlamentares ou da procuradoria, sabemos antecipadamente que não apresentarão resultados. Por mais irritação que cause a José Socrates ou António Costa, a verdade é que ainda não esclareceram nada, refugiando-se na estratégia de vitimização, inventando perseguições e cabalas que só existem na estratégia de comunicação do PS ou do governo.

5 comentários:

joshua disse...

Esta táctica é celebre. A verdade apura-se? Usam-se as armas disponíveis, intoxicando a Opinião Pública, coisa só possível com um amplo domínio dos Media.

Portugal é uma brincadeira terceiro-mundista neste tipo de coisas.

PALAVROSSAVRVS REX

Anónimo disse...

O pequeno ministro Telmo Qualquer Coisa (não me ocorre o nome completo)assinou os tais 300 despachos. Os 18 que referiu na lamentável entrevista televisiva são os que foram publicados no DR, coisa que não sucede com a esmagadora maioria dos despachos ministeriais.
A série de golpezitos (e golpezões) desse punhado de arrivistas que, durante alguns meses, assaltou o estado,é esxtraordinário!...

quintarantino disse...

Meu caro António de Almeida, lamento contrariar o que disse mas basta ter visto ontem Pedro Santana Lopes na SIC a atirar culpas e perdigotos para qualquer sítio menos para cima do seu Governo para se perceber que ali há... coisa!

Quanto à questão das assinaturas e das incompatibilidades, já referi nouto local que também eu não deixei de estranhar "timings", momentos e escolhas dos jornalistas de investigação que, ao caso, parece ter um grão no sapato em relação a tudo o que é socialista.

Basta ver que foi o JAC quem acusou António Vitorino (por quem nem sequer morro de amores, quanto mais de simpatia) em tons igualmente apocalípticos e o homem acabaria não indiciado fosse pelo que fosse.

Sou dos que entendem que não vale tudo, especialmente quando se quer discutir questões de carácter. E, para mim, em relação à luta Pedro Santana Lopes/José Sócrates é que o que se está a discutir.

NuNo_R disse...

BoAS...

Bom post no "Público" ;)


abr...prof...

espumante disse...

Se o anónimo das 09:04 disse que foram mesmo trezentos despachos do ministro que ele não sabe o nome, é porque foram. Ele lá deve saber...