14/01/2008

Algumas considerações sobre o aeroporto em Alcochete

-Passados que estão alguns dias do anúncio por parte do governo, de mudar o local de construção do novo aeroporto internacional de Lisboa da Ota para Alcochete, será altura de levantar algumas questões. Todos conhecemos o modelo de financiamento autárquico em Portugal, será pois normal e previsível, que venham a surgir pressões de interesses imobiliários no sentido de obter novos licenseamentos em toda a área envolvente, mas será desejável que os governos, actual e futuro, uma vez que este projecto é de interesse nacional, bem como os municípios da região não alterem os PDM excepto no tocante á construção do aeroporto e cidade aeroportuária, mesmo aqui o modelo é amplamente discutível, havendo desde já quem se prepare para construir um elefante branco. Será importante perceber, uma vez desactivada a Portela, solução que de todo me desagrada, que planos reservam efectivamente os municípios de Lisboa e Loures, porque um eventual prolongamento da Alta de Lisboa, ou uma nova Expo, significam mais do mesmo, continuar a apostar no levantamento de betão, deixando ao abandono o centro da cidade, cuja reabilitação deveria ser promovida. Obtida pois uma importante vitória da sociedade civil, evitando o esbanjamento dos dinheiros públicos, será necessário que o país não adormeça, pois não falta neste país, quem queira gastar á tripa forra, sabendo que para muito boa gente, crescimento e desenvolvimento, são sinónimos de construção civil e obras públicas.

1 comentário:

Tiago R. Cardoso disse...

Em Portugal é normal acharem que desenvolvimento é construir edifícios, o betão é sinal de progresso.
Tenho a certeza que os interesses imobiliários seja já na zona de Alcochete como já a pensarem na Portela, há muito que já estão no terreno...