17/01/2008

BCP perde 686 milhões em bolsa

J.N.-BCP perdeu 686 milhões um dia após eleição de Santos Ferreira

-As acções do BCP desvalorizaram, perdendo 686 milhões de Euros de capitalização bolsista, num dia apenas, mas não um dia qualquer, o dia seguinte á submissão do capital accionista do banco perante o poder político. O mercado não perdoa, a conjectura internacional não é favorável, as casas de investimento reduzem o nível das recomendações sobre os títulos do BCP, a maioria dos accionistas são quem irá sair a perder de toda esta situação, a maioria dos accionistas, não a maioria do capital, os grandes investidores, esses certamente só terão de esperar até que o estado os recompense pela sua obediência, atribuindo-lhes condições favoráveis num qualquer próximo investimento público. Para pagar tal factura, estarão disponíveis os mesmos de sempre, o contribuinte, tal como os pequenos accionistas do BCP, os perdedores de toda esta negociata. Claro que não estou a defender a anulação dos direitos dos grandes investidores, nem contra o capitalismo, defendo o funcionamento duma economia de mercado, acredito no liberalismo económico, mas neste episódio lamentável do BCP, funcionaram políticos, pressões, cunhas, compadrios, tudo menos o mercado.

3 comentários:

quin[tarantino] disse...

António, António... leia a crónica de última página do "Público" de hoje. Deve gostar.

Atreides disse...

A Bolsa é algo que ainda não percebo. Só perde quem compra caro e vende barato, certo? Agora desceram - no dia da eleição de nova administração, curioso - mas entretanto voltam a subir, até porque na direcção estão figuras amigas do Governo. Há que saber esperar.
Numa análise simplista, só perde na bolsa quem compra acções de uma empresa sem futuro. Comprar parte de uma empresa líder, pode não ser uma galinha de ovos de ouro, mas não é sequer um risco.

Atreides disse...

Por falar nisso, viu como baixaram as acções da REN quando os primeiros tribunais decidiram contra a empresa?

E como reagiu em bolsa quando a REN anunciou que o preço da electricidade teria de aumentar para pagar as obras?