22/01/2008

ASAE no parlamento

-O inspector-geral da ASAE, António Nunes, ouvido hoje em audiência parlamentar, de todo não convence. Para começar, passou completamente ao lado das perguntas dos deputados Pedro Mota Soares e Hélder Amaral, dizendo três ou quatro frases de carácter genérico, escudando-se sistematicamente na legislação europeia. Esquece-se o sr. António Nunes, que os portugueses também viajam, ainda há dias regressei de Paris, tendo na altura escrito este post. Mais cigarrilha, menos cigarrilha, julgo que a questão do casino é infinitamente menos importante, que o prazo de validade dos extintores nas instalações da ASAE estar expirado, que moral terá hoje um inspector desta autoridade, em levantar auto a qualquer operador económico que se encontre nas mesmas condições?

4 comentários:

Blondewithaphd disse...

Bolas, extintores com prazos expirados é que não! É a falta de moralidade (às vezes tão portuguesinha provinciana) com que sempre nos confrontamos. Dizem que o exemplo vem de cima... Sim, pois...

NINHO DE CUCO disse...

O exemplo tem que vir de cima se não nada feito.
E é por isso que é mesmo NADA FEITO.

SILÊNCIO CULPADO disse...

É um triste exemplo de tudo o que não deve ser.
Deplorável, simplesmente.

quintarantino disse...

Sério? Então sempre se confirma que em casa de ferreiro, espeto de pau!