10/01/2008

Para quando um rumo, PSD?

PUBLICO-Tratado da UE: Menezes diz que PSD foi corajoso enquanto PS adiou decisão e hesitou


-Defendo a ractificação do tratado de Lisboa através do referendo, mas admito que possam existir opiniões que defendem outra hipótese, ou seja através do do parlamento, já não consigo perceber é a posição do PSD na matéria, Luis Filipe Menezes apenas passou a defender esta opção numa lógica de confronto interno, procurando ser diferente de Marques Mendes, agora falar em coragem, parece-me manifestamente exagerado. Por um lado, recusa o referendo para não vir á rua de braço dado com José Socrates, por outro, ao optar por votar favoravelmente a ractificação, pois existirá disciplina de voto na bancada, votará ao lado de Socrates, e consequentemente, não lhe resta outra alternativa que não rejeitar a moção de censura que o BE anunciou ir apresentar, será que no final das votações, Socrates irá cumprimentar Santana Lopes, dizendo, porreiro pá! Ou Luis Filipe Menezes anda mal aconselhado pela agência de comunicação contratada, ou a direcção do partido não percebe o que é fazer oposição, vejo umas críticas avulsas a medidas do governo, mas ainda não vi uma proposta alternativa, de como pretende governar o país. A questão é simples, em que seria diferente um governo social-democrata hoje? Já percebemos que o estado seria desmantelado em seis meses, mesmo assim não percebi muito bem como, se liberalizando os serviços, privatizando empresas, e reduzindo o peso da administração, valores em que acredito, ou se o estado será desmantelado meramente por insolvência financeira, após derrapagens excessivas, ao género das que parecem ter ocorrido na câmara de Gaia. Quando se decidirá a actual liderança do PSD a traçar uma estratégia e definir um rumo? Para quando deixar de navegar á vista, atirando furtivamente aos alvos que aparecem? Fazer oposição é mais do que isto!!!

3 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

Interessante foi terem apoiado a rectificação do tratado por via parlamentar e ao mesmo tempo discordarem das razões, não percebi...

Atreides disse...

O PSD, pelo que percebo, está efectivamente sem rumo. As comissões políticas (digo no plural porque não será só no PSD) são meros instrumentos do líder. Menezes não é constante, toma decisões apenas por oposição a outras, o que é deveras grave - para o partido e para os cidadãos que ficam privados de uma oposição séria, essencial em democracia. Tendo em conta a actualidade, seria preferível Paulo Portas no PSD e Menezes no CDS (sem querer dizer que seria uma oposição mais séria, seria pelo menos mais constante e aguerrida).
Se Paulo Portas se lembrasse de "rescindir" com o CDS...

São disse...

Desta vez , estou totalmente de acordo consigo!
A maioria absoluta deste Partido Socialista precisa de Oposição séria e a sério e, lamentavelmente, não a tem.
E não a tem porque O PSD está desmantelado desde Durâo, que nada se importou nem com o país, quanto mais com o partido...
Saudações!